Skip to main content
search

Fibroadenoma é o nome científico para nódulos benignos comuns da mama. Eles são feitos do crescimento de ambos os tecidos da mama: glandulares e de sustentação. Geralmente, os casos mais diagnosticados são entre 15 e 35 anos, sendo afetados pelos níveis hormonais das mulheres. Em relação ao crescimento, aumentam durante a gravidez e desaceleram na menopausa.

Como é feito o diagnóstico?

Cerca de 10% das mulheres apresentarão nódulos benignos durante a vida, sendo que algumas terão múltiplos, na mesma mama ou na contralateral. Na maioria das vezes são encontrados no exame físico como um nódulo liso, firme e indolor, podendo não ser visível na mamografia, especialmente porque aparece em idades mais jovens, quando não se faz mamografia ou a mama está muito densa para detectá-lo.

A ultrassonografia é o exame mais recomendado para colaborar com o diagnóstico de um nódulo benigno. Geralmente é identificado como nódulo regular, com o diâmetro antero-posterior (vertical) menor, ou seja, na imagem é mais largo do que alto.

A biópsia é a forma definitiva para determinar se um nódulo é benigno. Se diagnosticado, muitas mulheres sem características anormais, principalmente as mais jovens, podem ser tratadas apenas com observação.

Tipos de biópsias

A biópsia da agulha do núcleo, ou core-biopsy, é realizada com uma agulha acoplada a uma pistola que retira fragmentos de tecido. Pode ajudar a distinguir entre um nódulo e outros tipos de lesões, como um tumor filoide, uma forma rara de neoplasia de mama que pode ser semelhante a um fibroadenoma.

Alguns patologistas descrevem estas lesões como fibroepitheliais, que é uma categoria mais ampla que pode incluir tanto o fibroadenoma (nódulo) quanto o tumor filoide. Se o fibroadenoma tem áreas de calcificação, cistos, ou outras alterações em seu interior pode ser descrito como um fibroadenoma complexo.

Como é o tratamento?

Nem todos os fibroadenomas precisam ser removidos e não há critérios específicos para essa remoção, como o tamanho, por exemplo. No entanto, alguns estudos sugerem a retirada de fibroadenomas maiores. Outras indicações para a extração cirúrgica de um fibroadenoma incluem o desconforto, o crescimento na imagem ou no exame físico ou dúvidas no diagnóstico patológico, normalmente por biópsia.

Fibroadenomas que não são removidos podem ser seguidos com estudos de ultrassonografia a cada seis meses, inicialmente. Se não aumentarem de tamanho durante esse tempo, o seguimento em curto prazo não será mais necessário.

Fibroadenoma juvenil

Fibroadenoma juvenil é uma categoria especial de nódulo que ocorre em mulheres jovens e adolescentes, entre 10 e 18 anos. Podem ser muito grandes e tendem a crescer rapidamente. Recomenda-se frequentemente que o fibroadenoma juvenil seja removido cirurgicamente.

Autores:

Portal Câncer de Mama Brasil

Portal Câncer de Mama Brasil

Dr. Eduardo Millen • Rio de Janeiro/RJ – CRM-RJ: 5263960-5
Dr. Felipe Zerwes • Porto Alegre/RS – CRM-RS: 19.262
Dr. Francisco Pimentel Cavalcante • Fortaleza/CE – CRM-CE: 7.765
Dr. Guilherme Novita • São Paulo/SP – CRM-SP: 97.408
Dr. Hélio Rubens de Oliveira Filho • Curitiba/PR – CRM-PR: 20.748
Dr. João Henrique Penna Reis • Belo Horizonte/MG – CRM-MG: 24.791

Close Menu