O que é fluxo papilar?

Saída de líquido do mamilo fora do período de lactação é motivo de preocupação de muitas mulheres

O fluxo papilar ocorre quando sai líquido do mamilo fora do período da lactação. Apesar de causar preocupação, a grande maioria dos casos refere-se às alterações benignas. Apenas situações de fluxos espontâneos, unilaterais de cor de água ou sangue necessitam de cirurgia.

Existem três tipos de fluxo papilar: saída de leite (conhecida por galactorreia), fluxo causado por alterações normais da mama e fluxo suspeito, geralmente relacionado às doenças mamárias, inclusive o câncer.

Galactorreia

É a saída de uma secreção anormal de leite em ambas as mamas fora do período de amamentação. Sua causa pode estar relacionada aos hormônios; problemas na produção da prolactina ou da dopamina; e ao uso de medicações, principalmente os sedativos. Outra possibilidade são as modificações na tiroide e na hipófise, glândulas produtoras de hormônios. O tratamento geralmente é feito com remédios e as cirurgias na hipófise são muito raras.

Fisiológico

Tipo de fluxo papilar mais frequente. Trata-se da saída de secreção em uma ou nas duas mamas, por vários orifícios da papilar, com cor amarela ou escurecida e geralmente relacionada à manipulação da papila.

Os outros tipos de fluxo estão relacionados às variações nos ductos mamários. Estas estruturas são os “canos” que levam o leite para fora durante a amamentação. A maior parte dos ductos está localizada atrás da papila mamária.

Ordenha papilar

Muitas mulheres acreditam equivocadamente que a ordenha da papilar faz parte do autoexame da mama ou da higiene. Mas esta prática deve ser evitada, pois pode causar pequenos traumas e a saída de líquido que é normalmente produzido pela glândula mamária.

Algumas mulheres possuem ectasia ductal, que é a dilatação dos ductos mamários. Isto não é doença, apenas uma característica de algumas pessoas. Nestes casos, pode ocorrer acúmulo de secreção normal da mama nos ductos dilatados. A ordenha causa a saída deste líquido.

A orientação para as pacientes é que estes fluxos fisiológicos são benignos e não deve ser realizada a ordenha manual da papila.

Os fluxos considerados suspeitos são aqueles espontâneos, unilaterais, em apenas um único ducto e com aspecto de água ou sangue. Na maioria das vezes são causados por problemas benignos: os papilomas mamários.

Papiloma mamário

É uma pequena lesão vegetante que cresce no interior do ducto mamário. Numa analogia, trata-se de algo parecido com os pólipos intestinais (crescimento anormal da mucosa do intestino grosso – cólon e reto) ou uterinos, mas são coisas diferentes.

A maioria dos papilomas é benigna, porém alguns podem sofrer alterações malignas. Geralmente não são vistos nos exames de imagem porque o tamanho é muito pequeno. Quando aparecem, o aspecto é de uma lesão sólida ou nódulo dentro do ducto mamário. Cerca de 5% a 10% dos casos podem ser causados por câncer de mama, geralmente na forma pré-invasiva.

Mesmo com os exames de imagem normais, recomenda-se que as mulheres com este tipo de descarga papilar sejam submetidas a uma pequena cirurgia para a retirada do ducto acometido. O procedimento tem objetivo de descobrir a natureza da lesão e, muitas vezes, pode ser curativo também.

A cirurgia pode ser substituída pela mamotomia em algumas mulheres com papilomas pequenos e identificados pelo ultrassom, porém esta questão não é consenso no meio médico.

Autores: