biópsia com agulha grossa ou core-biopsy

Indicada para diagnóstico de nódulos sólidos, pode ser feita direta ou guiada sobre a área de interesse

O termo biópsia com agulha grossa (core biopsy ou biópsia percutânea com agulha grossa) refere-se à técnica de obter tecido através de dispositivos, conhecidos como pistolas, que acoplam agulhas de calibres variados e permitem a obtenção de amostras de tecidos para diagnóstico histopatológico através de mínimos cortes na pele.
É indicada para o diagnóstico de nódulos sólidos e pode ser realizada diretamente sobre a área de interesse ou guiada através de ultrassonografia ou mamografia. Para os nódulos palpáveis, o auxílio da ultrassonografia não é indispensável, mas pode ajudar na escolha da área de melhor representatividade da lesão.
Nos casos de nódulos não palpáveis, é essencial que seja guiada por ultrassonografia e que se documente a presença da agulha dentro do nódulo que será biopsiado. Pode ainda ser utilizada para biópsias de linfonodos axilares em casos especiais.
Diferentemente da PAAF, as biópsias com agulhas grossas permitem obtenção de fragmentos de tecido mamário, o que melhora a capacidade diagnóstica, além de permitir a realização do exame de imuno-histoquímica, essencial para programação terapêutica nos casos de câncer. Seu uso para diagnóstico de microcalcificações tem capacidade diagnóstica limitada e deve ser reservado apenas nos casos para quando não houver disponibilidade de realizar a mamotomia.
Biópsia percutânea
São procedimentos minimamente invasivos realizados com diferentes dispositivos que acoplam agulhas de diversos calibres para chegar a um diagnóstico das lesões da mama.
O termo biópsias mamárias percutâneas refere-se aos procedimentos realizados para diagnósticos das lesões de mama através de diferentes dispositivos que acoplam agulhas de diversos calibres para obtenção de fragmentos das lesões de mama e possível diagnóstico através de procedimentos minimamente invasivos.
Autores:
Compartilhar