Skip to main content
search
O que significa BI-RADS ™ 4?

O que é BI-RADS ™?

Em primeiro lugar, vamos esclarecer o que significa a classificação BI-RADS ™ (Breast Image Reporting and Data System), amplamente utilizada nos laudos dos exames de Mama (Mamografia, Ultrassom e Ressonância).

É um sistema de laudos criado pelo Colégio Americano de Radiologia para padronizar os laudos dos exames de Mama, como intuito de reduzir as diferenças de interpretação dos exames, facilitar a comparação entre os exames anteriores ou de diferentes centros de saúde. Também tem papel fundamental na orientação das condutas.

Segundo o BI-RADS ™, os achados dos exames podem ser classificados nas seguintes categorias: 0, 1, 2, 3, 4, 5 ou 6, de acordo com o grau de suspeita dos achados.

Entendendo o BI-RADS ™ 4

São exames com achados suspeitos para malignidade.

O grau de suspeita nessa categoria varia muito, de 5 – 90%. Podem ser nódulos, calcificações, assimetrias, distorções e podem ser achados de mamografia, ultrassom e/ou ressonância magnética.

Muitas dessas lesões são assintomáticas, não palpáveis. Daí a importância do rastreamento anual.

Recomenda-se que essas lesões sejam investigadas a partir de biópsia, para o esclarecimento do diagnóstico.

Algumas das perguntas mais frequentes das pacientes frente resultado BI-RADS ™ 4

 “Meu exame teve resultado BI-RADS ™ 4, estou com câncer?”

Calma, vale ressaltar que as lesões BI-RADS ™ 4 tem grau intermediário de suspeita, então grande das biópsias tem resultado benigno.

“Meus exames tem BI-RADS ™ diferentes. (Por exemplo, Mamografia BI-RADS ™4 e Ultrassom Normal – BI-RADS ™ 2). Qual está errado? O que eu devo fazer?

Os exames são complementares e nem todos detectam a lesão. Depende do tipo de mama e do tipo de lesão.

A conduta deve ser baseada no exame mais suspeito (BI-RADS ™ mais alto).

“Posso operar direto, sem fazer a biópsia?”

Não é o ideal, pois muitas dessas lesões são patologias benignas, então a chance de fazer uma cirurgia desnecessária é grande, além do fato de ser muito importante para o cirurgião ter o maior número de dados possíveis para planejar a melhor forma de tratamento.

O diagnóstico definitivo antes da cirurgia ajuda na definição da melhor abordagem cirúrgica e também para definir se o tratamento inicial deve ser a cirurgia ou uma terapia antes da cirurgia.

“Já que não é certeza que tenho um câncer, posso acompanhar para ver se cresce?”

Não é o recomendado.

Ao acompanhar uma lesão suspeita, corremos o risco de atrasar o tratamento.

Não se esqueçam de que o tratamento precoce é um dos fatores de grande impacto na redução da mortalidade do Câncer de Mama.

“Como é a biópsia? Doi muito?”

É um exame simples, com anestesia local, muito bem tolerado pelas pacientes e com baixíssimas taxas de complicação.

Muitas pacientes, ao terminar o exame falam:

“Mas é só isso?”

“Já acabou!?”

“Nem dormi a noite, se eu soubesse que era tão simples…”

Resumindo

O rastreamento anual é muito importante para a detecção precoce do Câncer de Mama.

Se o seu resultado for BI-RADS ™ 4, não se desespere; você tem uma lesão suspeita, que deve ser investigada, mas ainda com chance de ser benigna.

Procure seu ginecologista / mastologista para juntos definirem a melhor conduta.

Texto escrito por:

Dra. Ana Cláudia Silveira Racy

CRM-SP: 81821
Médica Radiologista
Coordenadora Medica do Grupo de Imagem de Mama – Serviço de Diagnóstico por Imagem do Hospital Israelita Albert Einstein.

[email protected]

Portal Câncer de Mama Brasil

Portal Câncer de Mama Brasil

Dr. Eduardo Millen • Rio de Janeiro/RJ – CRM-RJ: 5263960-5
Dr. Felipe Zerwes • Porto Alegre/RS – CRM-RS: 19.262
Dr. Francisco Pimentel Cavalcante • Fortaleza/CE – CRM-CE: 7.765
Dr. Guilherme Novita • São Paulo/SP – CRM-SP: 97.408
Dr. Hélio Rubens de Oliveira Filho • Curitiba/PR – CRM-PR: 20.748
Dr. João Henrique Penna Reis • Belo Horizonte/MG – CRM-MG: 24.791

Close Menu