QUADRANTECTOMIA

A quadrantectomia é a cirurgia que retira apenas a parte da mama acometida pelo câncer, preservando o restante da glândula mamária. Trata-se do procedimento de escolha para casos de câncer de mama inicial, mantendo a estética com as mesmas chances de cura que as mastectomias.

Quadrantectomia

ANTES E DEPOIS DA CIRURGIA.

QUADRANTECTOMIA / SETOR MAMÁRIO / RESSECÇÃO SEGMENTAR / CIRURGIA CONSERVADORA DA MAMA.

A quadrantectomia também é conhecida por cirurgia conservadora da mama. Em alguns locais o procedimento é chamado de setor mamário (setorectomia), ressecção segmentar de mama ou até segmentectomia. O procedimento foi descrito em 1981 por Umberto Veronesi, que foi o primeiro a mostrar que a quadrantectomia é tão eficiente quanto à mastectomia para o controle do câncer.

Apesar do nome, a quadrantectomia não retira uma quarta parte da mama (ou quadrante), visando apenas a retirada completa do tumor, com margens livres (margem = área de tecido saudável ao redor do câncer).

Este procedimento é o mais utilizado no tratamento do câncer de mama inicial, obtendo taxas de controle da doença iguais à mastectomia, mas preservando a glândula mamária. Este tratamento é sempre complementado pela radioterapia mamária, que pode ser feita em até 90 dias após o procedimento.

O preparo para a cirurgia requer jejum de 8 horas e todo medicamento utilizado na semana anterior deve ser comunicado ao médico. Obviamente, recomenda-se evitar associar tabagismo e ingestão de bebidas alcóolicas no período peri-operatório.

A anestesia geral é a mais utilizada neste tipo de cirurgia, com uso de bloqueios locais para diminuir a dor após a cirurgia. Geralmente as cirurgias da mama são pouco dolorosas, mas, o uso de medicações analgésicas sempre é prescrito após a alta.

De modo geral, as pacientes submetidas a este procedimento ficam internadas de 12 a 24 horas. O uso de drenos não é frequente, sendo reservado para cirurgias mais amplas ou que retirem todos os gânglios axilares (linfadenectomia axilar).

A paciente deve permanecer em repouso por cerca de 7 a 14 dias, mas podem ocorrer variações individuais. O repouso pós-cirúrgico é muito importante para evitar edema, sangramento (hematoma) ou acúmulo de líquido (seroma). Porém, a paciente não necessita ficar com o braço imóvel. Inclusive, a movimentação do braço ajuda a diminuir rigidez do ombro posteriormente. O que se recomenda é que nos primeiros dias após a cirurgia seja evitado abrir o braço do lado operado em mais de 90° ou esforço excessivo (carregar peso, digitação excessiva, etc).

A fisioterapia precoce ajuda a paciente se sentir-se mais confortável com a cirurgia e pode evitar o aparecimento de alguns problemas, tais como limitação de amplitude de movimento e edema do braço.

Outro cuidado pós-operatório importante é a limpeza dos curativos ou da cicatriz. Alguns curativos devem ser trocados diariamente, mas normalmente os curativos mais duradouros são preferidos. A limpeza com água e sabonete geralmente é a melhor forma de evitar infeções de ferida cirúrgica.

Todas as alterações no período pós-operatório devem ser comunicadas ao médico e os retornos costumam ser semanais nos primeiros dias.

Autores:

Compartilhar