Skip to main content
search
Companhia Farmacêutica anuncia resultado positivo do estudo com Imunoterapia (pembrolizumabe) em Câncer de Mama Triplo Negativo.

A Companhia farmacêutica MERCK anunciou resultado positivo do estudo KEYNOTE-522 acerca do uso de imunoterapia (pembrolizumabe) no câncer de mama inicial tipo triplo negativo.

O pembrolizumabe (nome comercial: KEYTRUDA) é uma imunoterapia, tipo anti-PD-1, que funciona aumentando a capacidade do sistema imunológico do corpo de ajudar a detectar e combater as células tumorais, ativando assim os linfócitos T que podem afetar células tumorais. A Merck, companhia farmacêutica conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá, anunciou na última sexta-feira resultados positivos do estudo neoadjuvante / adjuvante principal de Fase 3 KEYNOTE-522 investigando o pembrolizumabe em combinação com quimioterapia como pré – tratamento operatório (neoadjuvante) e, em seguida, continuação do tratamento com agente único (adjuvante) após a cirurgia.

O estudo KEYNOTE-522 atingiu seu objetivo primário duplo de sobrevida livre de eventos (EFS) para o tratamento de pacientes com câncer de mama triplo negativo em estágio inicial de alto risco. Com base em uma análise provisória conduzida pelo Comitê de Monitoramento de Dados independente, o uso neoadjuvante de pembrolizumabe mais quimioterapia seguido pelo adjuvante pembrolizumabe como monoterapia mostrou uma melhora estatisticamente significativa e clinicamente significativa em comparação com a quimioterapia neoadjuvante sozinha.

Conforme comunicado anteriormente, o KEYNOTE-522 encontrou seu outro objetivo primário duplo de resposta patológica completa (pCR). O perfil de segurança de pembrolizumabe neste estudo foi consistente com o observado em estudos relatados anteriormente; nenhum novo sinal de segurança foi identificado.

“O Pembrolizumabe é a primeira imunoterapia a mostrar resultados positivos para sobrevida livre de eventos em pacientes com câncer de mama triplo negativo”, disse o Dr. Roy Baynes, vice-presidente sênior e chefe de desenvolvimento clínico global , diretor médico, Merck Research Laboratories:

“A melhoria nas taxas de resposta patológica completa inicialmente observada após o tratamento pré-operatório foi encorajadora, e agora que estamos vendo os dados amadurecer após quatro anos para incluir uma melhoria estatisticamente significativa na sobrevida livre de eventos, esperamos trabalhar com o FDA e outras autoridades globais para levar esta nova opção aos pacientes o mais rápido possível. Somos gratos aos participantes do estudo que são essenciais para nossos esforços para avançar as opções de tratamento em potencial para pacientes com triplo negativo.”

O câncer de mama triplo negativo é um tipo agressivo de câncer de mama que, caracteristicamente, apresenta uma alta taxa de recorrência nos primeiros cinco anos após o diagnóstico.

Embora alguns casos de câncer de mama possam ter teste positivo para receptores de estrogênio, receptores de progesterona ou superexpressão do receptor do fator de crescimento epidérmico humano 2 (HER2), este subtipo é negativo para todos os três.

Aproximadamente 15-20% das pacientes com câncer de mama são diagnosticadas como triplo negativo, tendendo a ser mais comum em mulheres com menos de 40 anos de idade. Portanto, novos tratamentos para esta doença são muito bem-vindos.


Acesse o link da matéria no site da empresa aqui.

Portal Câncer de Mama Brasil

Portal Câncer de Mama Brasil

Dr. Eduardo Millen • Rio de Janeiro/RJ – CRM-RJ: 5263960-5
Dr. Felipe Zerwes • Porto Alegre/RS – CRM-RS: 19.262
Dr. Francisco Pimentel Cavalcante • Fortaleza/CE – CRM-CE: 7.765
Dr. Guilherme Novita • São Paulo/SP – CRM-SP: 97.408
Dr. Hélio Rubens de Oliveira Filho • Curitiba/PR – CRM-PR: 20.748
Dr. João Henrique Penna Reis • Belo Horizonte/MG – CRM-MG: 24.791

Close Menu