Eribulina

A ERIBULINA é um quimioterápico que atua na inibição dos microtúbulos. Atualmente, este medicamento é aprovado em mais de 50 países para o tratamento do câncer de mama metastático em segunda e terceira linha, sendo mais eficaz no câncer de mama do subtipo triplo negativo. Os principais efeitos colaterais são fadiga e fraqueza, queda de cabelos e diminuição da contagem das células brancas do sangue (neutropenia).

Eribulina

O que é a ERIBULINA ?
A ERIBULINA é um antineoplásico da classe das haliacondrinas, um análogo sintético da halicondrina B, isolada a partir da esponja marinha Halichondria okadai. Atua na inibição dos microtúbulos (estruturas importantes para a divisão celular), mas por efeitos antimitóticos, diminuindo a irrigação sanguínea, capacidade de invasão e migração das células neoplásicas, levando à morte celular.

Quais os nomes comerciais e formas de aplicação da ERIBULINA?
A ERIBULINA pode ser encontrada sob o nome comercial de Halaven®, sendo administrada por via endovenosa.

Quais são as indicações da ERIBULINA?
A ERIBULINA é indicada para o tratamento do câncer de mama metastático quando a paciente apresentar progressão a pelo menos uma linha de tratamento para a doença avançada. A paciente deve ter feito uso de um antracíclico e um taxano no esquema terapêutico anterior para poder fazer uso da ERIBULINA.
A maior eficácia da ERIBULINA é observada no subgrupo triplo negativo (ausência de expressão de receptores hormonais e HER 2), com metástases viscerais e submetidas a até 3 linhas de tratamento.

Quais são os principais efeitos colaterais da ERIBULINA?
A ERIBULINA apresenta alguns efeitos colaterais como fraqueza e fadiga, queda da contagem das células brancas do sangue ( neutropenia), queda de cabelos, neuropatia periférica, constipação, diarreia, náuseas , vômitos, dentre outros. Deve-se ter atenção especial aos pacientes portadores de neuropatia periférica causada por diabetes ou uso de outros quimioterápicos, pois esse é o principal efeito colateral causador de suspensão da medicação.

CONCLUSÃO: A ERIBULINA é um quimioterápico inibidor dos microtúbulos indicado para o tratamento do câncer de mama avançado em segunda e terceira linha, com impacto em aumento de sobrevida. É um medicamento seguro, porém não é isento de efeitos colaterais. Deve ser utilizado apenas após avaliação e prescrição médica.


Autores:

  • Dr. Marcelo Ramos Tejo Salgado – CRM 12536-PE
    Graduado pela Universidade Federal da Paraíba com residência médica no Instituto Nacional do Câncer (INCA) e doutorado em ciências médicas pelo AC CAMARGO Câncer Center, Oncologista clínico do Grupo Oncoclinicas Recife.
  • Dra. Ana Carolina Branco Neves da Silva (PE) – CRM 18728-PE
    Oncologista internista
Compartilhar