Cirurgia de Lesão Não Palpável

A exérese de lesão de mama por marcação esterotáxica (agulhamento) ou ROLL é a cirurgia de escolha para a retirada de lesões não-palpáveis. Pode ser usada tanto em casos de câncer, como em lesões imagenológicas suspeitas que não puderam ser biopsiadas. A técnica é semelhante à quadrantectomia, retirando apenas a parte da mama acometida e preservando o restante da glândula mamária.

CIRURGIA DE LESÃO NÃO PALPÁVEL

ANTES E DEPOIS DA CIRURGIA.

EXERÉSE DE LESÃO DE MAMA POR MARCAÇÃO ESTEROTÁXICA (AGULHAMENTO) OU ROLL.

A cirurgia de lesão não palpável consiste na colocação de marcador para guiar o cirurgião na localização intraoperatória. As técnicas mais comuns são a colocação de um fio metálico com um pequeno gancho na ponta que ancora na lesão (agulhamento) ou material radiativo (ROLL). Outras formas são descritas, tais como o uso de corantes, semente radioativa ou carvão ativado.

O uso de exames de imagem, principalmente a mamografia, permite a detecção de doenças que ainda não são palpáveis clinicamente. Sendo assim, o cirurgião necessita de auxílio de exames de imagem e a colocação de um guia para orientação.

Normalmente, alterações vistas no ultrassom são localizadas com este aparelho. A mamografia é usada nas lesões que não aparecem no ultrassom e a ressonância magnética para àquelas que aparecem exclusivamente neste aparelho.

Os marcadores mais utilizados são o agulhamento (fio metálico introduzido através de uma pequena agulha) ou o ROLL – radioguided occult lesion localization – que consiste na injeção de um líquido radioativo. Apesar de alguma controvérsia, estudos clínicos demonstraram que ambos os métodos são equivalentes.

O preparo para a cirurgia requer jejum de 8 horas e todo medicamento utilizado na semana anterior deve ser comunicado ao médico. Obviamente, recomenda-se evitar associar tabagismo e ingestão de bebidas alcóolicas no período peri-operatório.

A anestesia geral é a mais utilizada neste tipo de cirurgia, mas, alguns casos podem ser feitos com anestesia local. Geralmente as cirurgias são pouco dolorosas, mas, o uso de medicações analgésicas sempre é prescrito após a alta.

De modo geral, as pacientes submetidas a este procedimento ficam internadas de 12 a 24 horas. O uso de drenos é raro, sendo reservado para cirurgias que associem a linfadenectomia axilar.

A paciente deve permanecer em repouso por cerca de 7 a 14 dias, mas podem ocorrer variações individuais. O repouso pós-cirúrgico é muito importante para evitar complicações.

‘A fisioterapia precoce ajuda a paciente se sentir-se mais confortável com a cirurgia e pode evitar o aparecimento de alguns problemas, tais como limitação de amplitude de movimento e edema do braço.

Outro cuidado pós-operatório importante é a limpeza dos curativos ou da cicatriz. Alguns curativos devem ser trocados diariamente, mas normalmente os curativos mais duradouros são preferidos. A limpeza com água e sabonete geralmente é a melhor forma de evitar infeções de ferida cirúrgica.
Todas as alterações no período pós-operatório devem ser comunicadas ao médico e os retornos costumam ser semanais nos primeiros dias.

Autores:

Compartilhar