CMF

O esquema de quimioterapia conhecido como CMF é composto por três medicamentos Ciclofosfamida, Metrexate e 5-Fluorouracila. Este foi o primeiro esquema de quimioterapia utilizado para reduzir o risco de recidiva do câncer depois de um tratamento com cirurgia, conhecido tecnicamente como tratamento adjuvante. Muito utilizado nas décadas de 1970 e 1980, foi substituído por esquemas de tratamento mais efetivos e com menos efeitos colaterais.

Quimioterapia CMF

O que é o CMF?
O esquema de quimioterapia CMF faz parte do grupo de medicamentos citotóxicos. Este medicamentos são aplicados na veia a cada 3 semanas, a depender da tolerância de cada pessoa, e têm por objetivo interferir com a replicação celular. Seus efeitos na redução do câncer de mama ocorrem por estas células apresentarem um índice de replicação mais elevado que as células normais do corpo.

Por conta da coloração amarelada do metotrexate, quando diluído para infusão, é conhecido com o esquema de quimioterapia amarela.

São medicações de aplicação hospitalar exclusiva, não sendo encontradas em farmácias, nem possível de compra diretamente pelo paciente.

Quais são as indicações do CMF?
Inicialmente foi utilizado como tratamento adjuvante do câncer de mama, ou seja, com o intuitivo de aumentar a chance de cura depois da cirurgia. Esta recomendação era baseada em estudos iniciais da década de 1970. Era feito por seis ciclos de tratamento a cada 21 dias depois da cirurgia mamária com intuito curativo. Atualmente menos utilizado por haver opções mais efetivas de tratamento, como os esquemas de tratamento contendo antraciclinas e taxanes.
Eventualmente ainda pode ser utilizado em pacientes que tenham contraindicações aos tratamentos mais recentes. Também pode utilizado em menor frequência como tratamento de doença com metástases.

Quais são os efeitos colaterais do CMF?
Como os demais medicamentos classificados como quimioterapia, o esquema CMF pode causar baixa das células sanguíneas, podendo estar relacionado a baixa da imunidade, queda de plaquetas e anemia. Sempre que um medicamento que baixe a imunidade é administrado o paciente deve estar ciente da possibilidade de neutropenia febril, que significa febre (temperatura igual ou superior a 38ºC) associada a baixa das células de defesa, conhecidas como neutrófilos. Se for detectada febre durante o tratamento o paciente deve se dirigir imediatamente ao pronto atendimento do seu hospital.
CMF pode causar queda de cabelos, embora a queda total dos cabelos não seja um efeito comum. O tratamento pode causar, náuseas e vômitos, efeitos que são controláveis com medicações orais em casa na maior parte das vezes. Algumas pessoas podem sentir cansaço, apresentar aftas na boca e irritação para urinar.
Em mulheres em idade fértil o uso de ciclofosfamida (o C do CMF) pode comprometer a fertilidade, caso a paciente tenha desejo de engravidar é necessário conversar sobre este assunto antes da aplicação dos medicamentos.

Conclusão
O esquema de quimioterapia CMF foi o primeiro tratamento realizado depois da cirurgia com o intuito de aumentar a chance de cura. É de prescrição e aplicação hospitalar exclusivo. Hoje é menos utilizado por termos opções mais efetivas de tratamento. Seus efeitos colaterais são semelhantes aos efeitos dos demais medicamentos classificados como quimioterapia. Ainda utilizado em menor frequência para o tratamento de pessoas que tenham contraindicação aos tratamentos mais recentes e para o tratamento da doença com metástases.


Autor:

Dr. Felipe Ades MD PhD – CRMSP 168018
Oncologista clinico, Coordenador do Núcleo de Mama do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Doutor pelo Institut Jules Bordet – Bruxelas, Mestre pelo Institut Gustave Roussy – Paris

Instagram:
@DrFelipeAdes

Compartilhar