Skip to main content
search
Como funciona a radiografia? Quando ela é usada? Existe radiação neste exame de imagem?

A radiografia, ou raio-X, é um exame de imagem que funciona utilizando radiação para diagnosticar problemas nos órgãos e estruturas internas do corpo. É um exame rápido, de baixo custo e muito utilizado na medicina.

O exame se baseia na diferença de absorção do raio-X por diferentes estruturas do corpo, resultando numa imagem que pode diagnosticar quando algum órgão está alterado.

Existem vários tipos de radiografia, como as realizadas nos ossos para ver fraturas ou o raio-X de tórax para detectar pneumonias. Há também radiografias especializadas, como a mamografia ou o raio-X do dentista.

A tomografia computadorizada também se utiliza do raio-X para a formação das imagens, mas o equipamento é mais sofisticado e o computador consegue fazer reconstruções tridimensionais dos órgãos.

Muitas vezes se utilizam meios de contraste, que são substâncias injetadas na veia antes do exame e que possibilitam imagens com mais informações, como por exemplo, na urografia excretora ou tomografia computadorizada com contraste, possibilitando um exame de imagem melhor visível.

Como é um aparelho de raio-X?

Os aparelhos podem ser convencionais, em que o técnico de radiologia coloca um estojo (chassis) com o filme radiográfico no interior no local apropriado dentro do aparelho. Normalmente o filme fica atrás do paciente, de maneira que vai absorver toda a radiação que não for absorvida pelos órgãos do paciente.

Nestes casos, após a realização do exame, o filme é levado para ser revelado numa sala especial, onde não pode entrar luz, chamada câmara escura, onde fica a processadora. Os filmes radiográficos passam por produtos químicos, como revelador e fixador, como nos filmes fotográficos antigos, e por fim são revelados e entregues ao paciente.

Atualmente é mais frequente que as radiografias sejam obtidas em equipamentos digitais, onde não é mais necessário usar chassis e filmes. A imagem é obtida num detector digital localizado no próprio equipamento.

No caso de aparelhos digitais, depois da realização é possível imprimir as imagens numa impressora de filmes radiográficos. Em alguns hospitais e centros médicos, não se imprimem mais os filmes, e os médicos que necessitarem ver as imagens consultam no computador.

Como é realizada a radiografia?

Nas radiografias sem contraste não há nenhum preparo especial. Nos exames em que é utilizado contraste na veia, são necessárias algumas horas de jejum antes do exame.

Os pacientes são posicionados no equipamento pelo(a) técnico(a) de radiologia. Dependendo da área a ser estudada, o paciente fica sentado, em pé ou deitado. Na mamografia por exemplo, por ser uma radiografia das mamas, a paciente é posicionada de maneira que apenas as mamas fiquem em contato com o detector de imagens.

É importante verificar se não há objetos de metal junto ao paciente como botões, fecho de sutiã, colares, brincos ou óculos, pois estes objetos acabam sendo fotografados e podem prejudicar a qualidade da imagem.

Nos aparelhos de radiografia existe um tubo de raio-X, que emite um feixe de radiação quando acionado. O raio-X é absorvido de maneira diferente por cada estrutura: ossos absorvem mais, músculos e gordura absorvem menos, por exemplo. Os raios-X não absorvidos atingem um receptor, que pode ser um chassi com filme radiográfico nos equipamentos convencionais, ou um detector nos equipamentos digitais.

A imagem na radiografia vai indicar se os órgãos estão com as características normais, ou se existe alguma alteração, como uma fratura num osso, por exemplo.

A radiação da radiografia é prejudicial?

Na realização das radiografias simples, mamografia, raio-X de dentes e outros, é utilizada uma quantidade de radiação muito baixa, incapaz de qualquer efeito prejudicial. Para o risco de ter um câncer, por exemplo, seriam necessárias centenas de radiografias.

Todas as clínicas e hospitais que possuem aparelhos de raio-X são fiscalizados e são necessárias várias licenças e aprovações para comprovar que os equipamentos são de boa qualidade e estão calibrados.

Sendo assim, os benefícios da radiografia normalmente superam os riscos.

Em grávidas e crianças, obviamente indicamos a realização de radiografias apenas quando é extremamente necessário.

Em alguns casos, existe a possibilidade de utilizar a ultrassonografia e a ressonância magnética, que são exames de imagem que não utilizam radiação.

Interpretação das imagens

As radiografias são obtidas por um(a) técnico(a) de radiologia e são interpretadas por um(a) médico(a) radiologista.

O médico radiologista descreve as alterações num relatório, que é o laudo radiológico. Os médicos radiologistas podem trabalhar dentro de clínicas e hospitais, e hoje em dia, com a radiologia digital e telerradiologia, há a possibilidade de o médico dar laudos à distância, até mesmo de outros estados ou países. Com isto, casos mais complicados podem ser discutidos com especialistas de qualquer lugar no mundo, trazendo inúmeros benefícios aos pacientes.

Texto escrito por:

Dra. Flora Finguerman

Coordenadora de Imagem Mamária do Grupo DASA – São Paulo

Portal Câncer de Mama Brasil

Portal Câncer de Mama Brasil

Dr. Eduardo Millen • Rio de Janeiro/RJ – CRM-RJ: 5263960-5
Dr. Felipe Zerwes • Porto Alegre/RS – CRM-RS: 19.262
Dr. Francisco Pimentel Cavalcante • Fortaleza/CE – CRM-CE: 7.765
Dr. Guilherme Novita • São Paulo/SP – CRM-SP: 97.408
Dr. Hélio Rubens de Oliveira Filho • Curitiba/PR – CRM-PR: 20.748
Dr. João Henrique Penna Reis • Belo Horizonte/MG – CRM-MG: 24.791

Close Menu