Maria Cardoso e Tatiana Morais (Mãe e Filha)

Nós vencemos o Câncer de Mama!

Maria Cardoso e Tatiana Morais - Mãe e Filha

Depoimentos de mãe e filha que tiveram câncer de mama.

 

Depoimento de Maria Aparecida Cardoso (mãe)
No ano de 2003 fui diagnosticada com câncer de mama. Fiz os exames e o tumor estava muito grande. Fiz a quadrantectomia na mama esquerda.
O tratamento foi 23 sessões de quimioterapia e 15 sessões de radioterapia. Senti os efeitos colaterais da quimio, porém, consegui passar por este processo.
Não tive mais problemas e não senti dores e nada de mais até 2015, quando tive a notícia da reincidência do câncer.
Comecei a sentir dores no braço esquerdo, fortes dores, não conseguia nem fazer a caminhada que estava acostumada.
Foi quando fui a uma ginecologista e relatei todo processo que havia passado em 2003. Refiz os exames de mamografia e ultrassom. Quando ela viu o resultado, ela encaminhou para um mastologista e foi diagnosticado que o câncer estava de volta.
O mastologista pediu vários exames e a cirurgia teria que ser mastectomia total da mama. Fiz a cirurgia em dezembro de 2015, fiz a quimioterapia novamente e foi um sucesso.
Hoje posso dizer que sou sobrevivente do câncer de mama.
Agradeço a Deus e toda equipe que me acompanhou neste processo.

Depoimento Tatiana Morais (filha)
Descobri o câncer de mama em março de 2019. Fiz a cirurgia no dia 15 de abril de 2019.
Descobri o câncer em uma consulta de rotina, não senti o nódulo, não senti dores. Foi detectado no ultrassom.
Em casa, já tinha tido a experiência da minha mãe ter tido câncer de mama por 2 vezes. Mas, não sabia a intensidade dos efeitos colaterais. Quando minha mãe passou pelo processo, eu tentava de todas as maneiras fortalecer e incentivá-la.
Mas, pude sentir na pele o que ela tinha passado por 2 vezes. Com toda a certeza, posso afirmar que ter uma boa equipe médica, excelentes atendimentos, fez com que nós pudéssemos sentir segurança e com isso passar pelo tratamento com muita paz.
O apoio de nossos amigos também foi muito importante.
O fato do cabelo ter caído não me abalou tanto. Já estava ciente de que poderia acontecer, então, escolhi não me preocupar com isso.
Não esconder das crianças, também ajudou. Fomos muito sinceros com eles, desde a espera do resultado da biópsia, até o final, eles sempre souberam de tudo e entenderam perfeitamente. Nossos filhos tinham 8 e 4 anos.
O apoio do meu marido também foi fundamental. Ele sempre esteve ao meu lado em todos os processos.
Hoje, posso dizer que passamos juntos pelo câncer e que vencemos juntos.
Agradeço toda equipe médica, aos funcionários do hospital, aos nossos amigos e família!!!!
Dizer que se eles não estivesse ao nosso lado, seria muito mais difícil passar por este processo!!!

Compartilhar