RIBOCICLIBE

O RIBOCICLIBE é uma medicação usada no tratamento do câncer de mama do tipo receptor hormonal positivo e HER2 negativo com presença de metástases ou não passível de tratamento curativo. Seu uso quando indicado pode aumentar o tempo de controle da doença e em alguns casos o tempo de sobrevida.

Ribociclibe

O que é o RIBOCICLIBE.

O succinato de RIBOCICLIBE é uma medicação utilizada pela boca (via oral) juntamente com um agente antihormonal que impede a produção do hormônio estrogênio (inibidores da aromatase) ou que destrói os receptores deste hormônio (fulvestranto). Nas mulheres que ainda menstruam (pré-menopáusicas) deve ser realizado também um medicamento para que o ovário não produza hormônios (indução de menopausa). Seu uso em homens também é possível e é recomendado junto com os agentes antihormonais e também medicações para fazerem o testículo parar de produzir hormônios.

O mecanismo de funcionamento do RIBOCICLIBE é através da inibição de substâncias chamadas de ciclinas que atuam durante o processo de divisão (mitose) das células tumorais, impedindo que as células do tumor consigam se reproduzir.

Ele é vendido com o nome comercial de KISQALI™.

Quais são as indicações do RIBOCICLIBE

O uso do RIBOCICLIBE está indicado para o tratamento de pacientes com câncer de mama do tipo hormonal positivo e HER2 negativo com a presença de metástases ou localmente avançado não sendo possível cirurgia ou tratamento curativo. Ele pode ser utilizado tanto em mulheres que ainda menstruam (pré-menopáusicas), naquelas que já pararam de menstruar (menopáusicas), bem como em homens. O uso do RIBOCICLIBE junto com um tratamento antihormonal pode trazer aumento do tempo de controle e possivelmente também prolongar o tempo de vida destes pacientes quando comparado apenas ao uso de agentes antihormonais usados sozinhos.

Quais são os principais efeitos colaterais do RIBOCICLIBE?

O tratamento com RIBOCICLIBE deve ser monitorado com a realização regular de exames.

Devido ao seu mecanismo de funcionamento, inibindo a divisão celular (mitose), o RIBOCICLIBE pode afetar algumas células que normalmente se reproduzem no organismo. Por esta razão um dos seus principais efeitos colaterais é sobre as células da imunidade, causando uma redução temporária de um tipo de células chamadas de neutrófilos (neutropenia). Esta redução geralmente é temporária e resolve espontaneamente com a pausa da medicação. Por esta razão existe durante o tratamento pausas programadas, permitindo a recuperação a imunidade e continuação do tratamento.

Outro efeito colateral relativamente comum é a hepatite medicamentosa. Esta hepatite medicamentosa geralmente é leve e percebida apenas por alterações em exames de sangue, sendo incomum que o paciente apresente sintomas ou ter que suspender o seu uso por esta razão.

Pacientes que utilizam o RIBOCICLIBE também podem apresentar alterações no coração chamadas de prolongamento do QTc. Esta alteração deve ser monitorada pela realização programada de eletrocardiogramas durante o tratamento. A ocorrência de prolongamento do QTc é importante de ser monitorada pois isto aumenta a possibilidade de desenvolver arritmias cardíacas. Também deve haver atenção ao uso de outros medicamentos junto com o RIBOCICLIBE que também possam aumentar o QTc.

Mulheres grávidas, com desejo de engravidar ou amamentando não devem usar RIBOCICLIBE pois não se sabe se esta medicação é segura para o bebê.

Conclusão

O RIBOCICLIBE é uma medicação recomendada junto com tratamento antihormonal para pacientes com câncer de mama tipo hormonal positivo e HER2 negativo com doença metastática ou avançada localmente não passível de tratamento curativo. Esta medicação pode proporcionar um melhor controle da doença em relação ao uso apenas de agentes antihormonais. Visto que o uso do RIBOCICLIBE aumenta possíveis efeitos colaterais, para seu uso seguro é necessário realizar exames de rotina e acompanhamento médico.


Autor:

Pedro E. R. Liedke – CRMRS 26016
Oncologista – Oncoclínica Porto Alegre, Grupo Oncoclínicas Porto Alegre, RS

Compartilhar