T-DM1

O trastuzumabe emtansina (T-DM1) é uma medicação conjugada composta pelo anticorpo monoclonal trastuzumabe ligado ao agente citotóxico. Ao contrário da quimioterapia convencional que é administrada de forma sistêmica e que pode agir em todas as células do organismo, a quimioterapia do T-DM1 é liberada seletivamente no interior das células cancerígenas.

T-DM1

O que é o T-DM1?
T-DM1 é um medicamento que resulta da associação de trastuzumabe, um anticorpo contra a proteína HER2, com a emtansina (DM1), uma droga que inibe uma proteína essencial para a multiplicação das células nesse subtipo de tumor. Esse conjugado limita a liberação da DM1 (agente citotóxico) para o resto do corpo, aumentando e direcionando a ação da mesma para as células-alvo. Essa seletividade é um grande diferencial do mecanismo de ação desse medicamento, pois permite que ele seja mais eficaz e muito menos tóxico do que a quimioterapia tradicional pois poupa os tecidos saudáveis.

Quais os nomes comerciais e forma de apresentação do T-DM1?
O nome comercial original é Kadcyla® que pode ser encontrado nas apresentações de 100 mg e 160 mg (pó liofilizado para solução injetável). Não existem genéricos ou similares disponíveis no mercado. A solução após preparada é administrada pela veia.

Quais são as indicações de T-DM1?
O T-DM1 foi aprovado inicialmente para ser utilizado no tratamento de câncer de mama com receptores positivos para proteína HER2, quando existem metástases ou é avançado sem indicação de cirurgia.
Em 2019, o T-DM1 foi aprovado também no tratamento adjuvante, ou seja, para pacientes com câncer de mama inicial com receptores positivos para proteína HER2 que apresentam doença residual invasiva após o tratamento neoadjuvante (realizado antes da cirurgia) baseado em taxano e trastuzumabe.

Quais os principais efeitos colaterais do T-DM1?
O T-DM1 de maneira geral é muito bem tolerado, pois a DM1 é liberada dentro da célula tumoral. Os eventos mais comuns são alterações das enzimas do fígado que pode demandar redução de dose ou até mesmo suspensão do tratamento. Redução dos níveis de plaqueta e neuropatia (alteração nos nervos periféricos) também podem ocorrer. Menos frequentemente podem ocorrer toxicidade pulmonar e redução da função do coração.

O T-DM1 não deve ser utilizado durante a gravidez ou em caso de alergias ao medicamento.

CONCLUSÃO: O T-DM1 é um conjugado do trastuzumabe com a emtansina que inibe o crescimento de células tumorais do câncer de mama HER 2 superexpresso com benefício no cenário metastático e no câncer de mama inicial com doença residual invasiva após o tratamento quimioterápico prévio ao tratamento cirúrgico. Por ser altamente seletiva, é uma droga muito pouco tóxica.


Autora:

Dra. Renata Cangussu – CRM BA 15149
Oncologista Clínica – Rede D’OR, Salvador Brasil

Compartilhar